Mulheres no comando: 90% das Franquias Clube Morena Rosa são comandadas por mulheres

- Sem categoria
  • Compartilhe:

Ano após ano o mercado de franquias continua crescendo. Diante desse cenário, o empreendedorismo feminino ganha mais força no mercado, seja na ocupação de cargos destinados aos homens, seja na abertura do seu próprio negócio, dando visibilidade às mulheres e rompendo barreiras sociais. 

Mais da metade dos novos negócios abertos em 2016 foram fundados por mulheres, segundo o levantamento mundial, Global Entrepreneurship Monitor 2017, que foi realizado no Brasil em parceria com o Sebrae. No país, 44% do público feminino se arrisca em um negócio para complementar a renda ou mesmo como única receita dentro de casa. 

Antigamente as mulheres se resumiam como “donas de casa”, já hoje, a prioridade é a formação profissional, para ocupar as mais variadas funções e cargos. O aumento da participação feminina no mercado pode ter se dado pela redução dos postos de trabalho na indústria, a expansão do setor de serviços e maior flexibilização no mercado de trabalho. 

Apesar desses avanços, a inserção da mulher no mercado de trabalho não foi fácil, muitas barreiras foram e ainda são enfrentadas por elas. Salários menores, dupla jornada, deficiência nas políticas sociais, dificuldades na progressão da carreira, falta de voz nos espaços de decisão e poder, são alguns desses problemas. 

A gestão das mulheres

As mulheres geralmente têm grandes habilidades de comunicação, são boas interlocutoras e exercem uma abordagem colaborativa para o trabalho. Elas não se tornam apenas franqueadas, mas são atraídas pela ideia de ingressar em uma rede de franquias e trabalhar como parte da equipe. 

Elas apostam em estilos democráticos quando escolhem empreender, oferecem um número menor de produtos, mas com altíssima qualidade. São conservadoras quando estão em busca de financiamento, valorizam o feminino e bons relacionamentos tanto internos quanto externos. Elas procuram sempre estar muito bem atualizadas por meio de cursos, revistas, workshops e também pela mídia. 

Características da empresa delas

Geralmente as mulheres começam um negócio vendendo seus produtos para amigos, familiares e pessoas próximas. Com o passar dos anos, elas investem em estrutura e aumentam a quantidade de clientes. 

O comprometimento é uma preocupação muito grande das empreendedoras. Com um estilo participativo elas consideram importantíssimo consultar outras pessoas, para não tomarem as decisões sozinhas. Outra característica das empreendedoras é a valorização do desenvolvimento de seus funcionários, seja através de treinamentos ou até mesmo contato direto com a empresa. 

Empreendedoras Clube Morena Rosa

A evolução do empoderamento feminino faz com que as mulheres ganhem posições de destaque no mercado e também fortalecem a economia brasileira. Conheça a história de  quatro franqueadas Clube Morena Rosa que alcançaram o sucesso a frente da sua franquia.

Eli Falqueti, 47 anos

Ela saiu do Sul para brilhar no empreendedorismo de moda no Norte do país. Eli, como gosta de ser chamada, tem uma paixão tão genuína pelo universo fashion e é dona de quatro franquias de moda, sendo duas de acessórios e duas Clube Morena Rosa, em Porto Velho, Ji Paraná , Rio Branco e Ariquemes.

Natural do Rio Grande do Sul, mudou-se para Rondônia ainda menina. Casou-se cedo, aos 16 anos, e com o marido construiu uma vida pautada em equilíbrio, determinação e amor pela família. 

Seu tino empresarial foi lapidado quando precisou assumir os negócios familiares. Enquanto o esposo recuperava-se de problemas de saúde, Eli aperfeiçoou suas aptidões administrativas comandando a companhia. Sabia, no entanto, que sua realização como empresária estava em campo diferente. 

Apaixonada por moda desde pequena – e fã da Morena Rosa –, a empreendedora entrou em contato com o grupo, há dez anos, a fim de franquear a marca. Como o segmento ainda não existia na companhia, investiu no ramo de acessórios. Imagine o tamanho da felicidade quando a empresária soube que, finalmente, depois de tanto tempo, poderia trabalhar não só com uma marca do Grupo Morena Rosa, mas com todas? 

Hoje, Eli sente-se realizada por estar no ramo glamouroso do mundo da moda, mas sem deixar de lado a simplicidade e a ética nas relações humanas. Para ela, esse é o diferencial da Clube Morena Rosa: reunir todo o encanto e a exclusividade do universo fashion com o calor e a simpatia da mulher brasileira.

Silvana Gesualdi, 42 anos

Quem ouve Silvana falando da sua trajetória entende o porquê de seu sucesso no business. Dona de um raciocínio lógico perfeito, a empresária mostra que visão e preparo são os ingredientes para criar projetos, atravessar crises e se manter em crescimento. 

Nascida em Maringá, no interior do Paraná, ela começou a trabalhar ajudando nos negócios de distribuição de alimentos da família. A mudança de rumo veio anos depois, ao inaugurar uma franquia de moda masculina e perceber desenvoltura na área para buscar novas oportunidades. 

Descobriu, então, a Clube Morena Rosa, que considera um trunfo por oferecer looks completos através de cinco marcas, e é hoje dona de três franquias. Altiva, a empresária dá valor à história que vem construindo no varejo e credita os bons resultados a dois pilares. 

O primeiro deles – e o mais importante – são as pessoas. Para Silvana, são elas que fazem o negócio acontecer. Sua meta diária é motivar suas colaboradoras em busca de superação e resultados. 

O segundo pilar é o movimento e isso, encontrou na Clube Morena Rosa, o match perfeito. Para ela, é preciso movimentar as lojas com eventos e boas práticas – como oferecer sessões de fotos profissionais às clientes, mantendo assim um fluxo constante de pessoas nas lojas.

Hoje, a empresária concilia o comando das Clube Morena Rosa Tamboré, Morumbi Town e Bourbon Shopping, com o papel de mãe de duas meninas maravilhosas. E ninguém tem dúvida de que nisto ela também faz um tremendo sucesso.

Laura Trevizani, 30 anos 

Laura sempre foi apaixonada por moda. Desde menina, a gaúcha gostava de inventar o seu próprio estilo sem perder a elegância. O pai dela brincava que a filha deveria ter uma loja, mas apesar do incentivo, ela decidiu cursar Direito. 

Laura jamais deixou a paixão pela moda de lado e, já morando em Criciúma, em Santa Catarina, encerrou a carreira jurídica para se tornar empresária do segmento. À frente da Clube Morena Rosa da cidade há quase três anos, Laura consegue colocar em prática o que admira na marca: oferecer produtos de qualidade e receber suas clientes com dedicação.

Gisele Higashi, 42 anos

Gisele, já era consumidora das marcas do Grupo Morena Rosa e não resistia à qualidade impecável das roupas e dos acessórios. Foi ao lado da mãe, quando ainda era estudante de Direito, que ela conheceu o varejo e se apaixonou pelo negócio. Na época, mãe e filha inauguraram uma loja de biquínis e pijamas, e lá ela aprendeu que um atendimento diferenciado é um grande aliado com as clientes.

Gisele também cursou Administração de Empresas e, apesar de ainda hoje advogar, ela não descuida das suas três franquias Clube Morena Rosa em Ponta Grossa, Guarapuava e Curitiba: em cada uma delas, estão seus aprendizados e sua experiência! Gisele preza para que quem a visita sempre saia satisfeita.

Seja também uma empreendedora de sucesso. Vem para a Clube Morena Rosa e descubra como fazer parte da rede de franquias de moda que mais cresce no Brasil! 

Quer saber mais sobre a Franquia Clube Morena Rosa? Acesse o site e conheça nossa proposta de negócio!

  • Compartilhe: